Entenda as diferenças entre um comércio irregular e um comércio formalizado e conheça os benefícios que a formalização podem te trazer!

Atualmente, o setor do comércio vem sendo considerado um dos melhores mercados para investir, tornando-o uma sugestão valiosa para o empreendedor que deseja iniciar o próprio negócio.

No entanto, você mesmo já deve ter percebido que um dos principais dilemas do empreendedor que planeja abrir um comércio, refere-se à formalidade ou irregularidade do empreendimento.

Qual será a melhor forma de atuar?

Neste artigo vamos abordar os prós e contras de ter um comércio irregular e os de ter um comércio formalizado.

Vamos começar?

Os perigos de um comércio irregular

Um comércio irregular é aquele que não está devidamente regulamentado em relação à sua atividade, ou seja, ele funciona sem registro.

Contudo, embora pareça mais vantajoso, o empreendedor de comércio que atua de forma irregular, já está colocando um empecilho no crescimento do seu negócio.

Isso por que:

  • A maioria dos clientes não tem segurança em firmar um acordo com comércios informais, e a impossibilidade de emissão de notas fiscais é um dos principais motivos.
  • Como resultado, as possibilidades de fechar vendas vantajosas são praticamente inexistentes e, automaticamente, de ampliar a influência do comércio no mercado também.
  • Se houver uma fiscalização no comércio e existirem mercadorias sem nota fiscal, todos esses produtos serão recolhidos, fazendo com que o investimento tenha sido em vão.

Compreendemos que, a concorrência no mercado pode ser desleal, principalmente quanto aos comércios irregulares que vendem as mesmas soluções por um preço muito abaixo pelo praticado por aqueles legalizados.

Dessa forma, somadas às dificuldades em efetuar o registro do comércio, faz com que muitos empresários questionem se realmente vale a pena ter um comércio formalizado.

Mas, acredite, o retorno obtido é muito maior!

E os prós de ter um comércio irregular; quais são?

A única “vantagem” do comércio irregular, é que o empreendedor não tem que arcar com os tributos devidos ao negócio.

Mas, as restrições e multas que esse “empresário” pode sofrer, não são vantagens, certo?

Os benefícios de um comércio formalizado

São muitos os prós de ter um comércio formalizado, que esteja funcionando como determina a lei.

Dessa forma, ao obter um Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ) o empreendedor pode conquistar várias vantagens:

  • Direito a benefícios previdenciários (aposentadoria por idade, auxílio-doença, pensão por morte, auxílio-reclusão, salário maternidade, etc.).
  • Conta bancária em nome da empresa.
  • carga tributária de um comércio formalizado como MEI, e de pequenas empresas) optantes pelo Simples Nacional, é bem menor do que às impostas para as grandes e médias empresas.
  • As instituições bancárias concedem máquina de cartão de crédito.
  • Empréstimos com juros mais acessíveis.
  • Emissão de notas fiscais.
  • Possibilidade de contratar empregados que poderão estar protegidos pelas leis trabalhistas.

Esses e outros benefícios permitem ao empreendedor planejar o crescimento do negócio; o que não é possível a um comércio irregular.

Então quais são os contras de ter um comércio formalizado?

O quesito considerado como desvantagem de um comércio formalizado é que, atuando dessa forma, o negócio gera custos mensais com tributos, impostos, colaboradores e taxas.

E deve-se levar em conta o fato de que diversos empreendedores temem que a solicitação do registro do comércio exija custo alto de abertura e manutenção, resultando no pagamento de altos encargos.

Afinal, o que é melhor: comércio irregular ou comércio informal?

É certo que muitos empresários tiveram sucesso e crescimento em seus negócios de forma irregular.

Porém, todos eles, em algum momento, tiveram que regularizar suas empresas.

Logo, ter um comércio formalizado é tido como o melhor caminho para o empreendedor que vislumbra o crescimento e o sucesso de seu empreendimento.

Portanto, é sempre bom poder contar com o apoio de um especialista em comércio para lhe ajudar nesse sentido; 

Entre em contato conosco!

Será um prazer te ajudar!

Você sabe o que é regime tributário? Saiba que ele consiste em várias regras legais que estipulam os impostos a serem pagos pelas pessoas jurídicas à administração pública.

É essencial que haja um bom conhecimento dos regimes tributários existentes no Brasil, pois é uma maneira de evitar problemas fiscais, que podem prejudicar a imagem do seu negócio e, dependendo do caso, até obrigá-lo a fechar as portas.

Neste post, mostraremos como são os regimes tributários que estão vigor no País. Confira!

Simples Nacional

Se você não tem muito domínio sobre o que é regime tributário, saiba que o Simples Nacional é destinado às micro e pequenas empresas, cujo faturamento anual não ultrapassa R$ 4,8 milhões.

A grande vantagem desse regime tributário é a utilização do Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS), que possibilita pagar todos os impostos de uma vez só, o que facilita bastante a vida do empreendedor.

No DAS, estão incluídos diversos tributos, como:

  • Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido (CSLL);
  • Cofins;
  • ICMS;
  • ISS;
  • IRPJ;
  • Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI);
  • Pagamentos ao INSS;
  • Programa de Integração Social (PIS).

MEI

Também conhecido como o Microempreendedor Individual (MEI), o MEI faz parte do regime tributário Simples Nacional, abrangendo os empreendedores que não têm sócios e apresentam um faturamento de, no máximo, até R$ 81 mil por ano.

Com relação ao pagamento de impostos, o MEI é bastante simples. Isso porque os empreendedores individuais devem contribuir para o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS). Além disso, precisam recolher o Imposto sobre Serviço (ISS) e o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

Lucro Real

É um regime tributário que pode ser adotado por qualquer empresa. Ele é obrigatório para as que apresentam um faturamento anual maior que R$ 78 milhões ou que integram o setor financeiro. Para calcular o Lucro Real, é necessário levar em consideração a receita da empresa, os custos e as despesas. Ao contatar a lucratividade efetiva, é calculada a carga tributária a ser paga.

A recomendação é que o empresário mantenha atualizado o sistema de lançamento financeiro, ao optar por esse regime tributário. Essa ferramenta é fundamental para constar o lucro da companhia, o que tem grande influência no valor dos tributos a ser recolhido.

Lucro Presumido

É destinado às corporações que atingem um lucro de até R$ 78 milhões por ano. Um aspecto marcante dessa modalidade de regime tributário é que o valor dos impostos a serem quitados se baseia no segmento de atuação e no lucro médio das empresas do setor.

Por isso, as corporações que apresentam um resultado acima da média gostam bastante

desse regime, porque é uma forma de reduzir o impacto da carga tributária sobre as finanças. Assim, é mais fácil investir no negócio e honrar compromissos com funcionários e fornecedores.

Lucro Arbitrado

Tem como diferencial o fato de ser adotado por ação do Fisco devido à falta de condições de constatar a situação financeira da empresa, em virtude de imprevistos ou de fraudes. O ideal é que a organização esteja atenta aos requisitos da lei para evitar essa situação e não ser penalizada.

Se você chegou até o final deste post, pode afirmar, com tranquilidade, o que é regime tributário. Além disso, possui uma visão mais clara para dar o próximo passo para a escolha da melhor alternativa para o seu negócio pagar tributos e fugir de problemas com a administração pública.

Portanto, entre em contato conosco e esteja pronto para ir garantir uma carga tributária mais justa e tranquila!

Embora o contador para MEI não seja uma obrigatoriedade, é realmente uma boa ideia investir nos serviços de um especialista? Descubra hoje!

Será que um microempreendedor individual precisa de um contador?

Bom, muitos empreendedores até começam sozinhos, achando que ser MEI será bem simples, visto que a tributação é reduzida e bem sintetizada.

No entanto, existem aspectos que precisam de atenção, justamente, porque sem a ajuda e o acompanhamento de um contador, o MEI pode ter prejuízos em vários sentidos.

Vamos explicar melhor!

Por que o MEI deve ter um contador ao seu lado?

Sabe-se bem que o valor de faturamento estipulado para o MEI se enquadra no máximo de 81 mil reais por ano. Isso quer dizer que se o MEI passar disso terá de arcar com uma tributação adicional, caso ultrapasse 32% do seu lucro.

Sem um contador, pode ficar muito caro para você e sua empresa porque geralmente o empreendedor não sabe, não conhece e não entende como fazer esses cálculos para pagar o adicional.

Isso quer dizer que mesmo emitindo as guias comuns de pagamento para MEI, o valor devido a pagar não seria apenas aquele montante que se enquadra dentro dos critérios do MEI – isso para os casos em que o MEI acaba por faturar mais do que o estipulado.

Compreende isso?

O que quer dizer que as contas com os impostos podem chegar a 27,50%, fugindo totalmente da sua realidade como MEI.

O que significa que não ter um contador para MEI te coloca em risco em muitos sentidos, por exemplo:

  • Você pode ter de pagar multas e arcar com juros simplesmente porque não se atentou a esses critérios importantíssimos.
  • Você pode ter seu registro como MEI cancelado, perdendo a autoridade do CNPJ, por se manter enquadrado em um regime que não condiz com a realidade de faturamento.
  • Entre outros problemas que podem virar uma verdadeira bola de neve.

Também existem outros registros/declarações que o MEI precisa fazer…

MEI precisa fazer declarações, como qualquer outro tipo de negócio. Ou seja, precisa declarar seu faturamento e é sobre essa base que a Receita e o Fisco analisarão o contexto tributário e lucrativo do negócio.

Isso tudo, caso você não tenha nem ideia de como fazer ou por onde começar, um contador poderá te ajudar!

E como um contador pode ajudar o MEI?

Pense o seguinte…

É melhor pagar uma contabilidade para MEI que fique encarregada de todas as obrigações fiscais, tributárias e declaratórias do que ter que ficar sem saber o que fazer, por onde ir, o que mudar, ou se manter dentro do mesmo tipo de empresa e categoria,correndo o risco de errar feio!

Um contador para MEI te ajudará em muitos sentidos, que talvez você nem tenha imaginado! Quer ver só

  1. Um contador vai te ajudar com a saúde financeira da sua empresa, através de uma gestão e organização contábil.
  2. Te ajudará a entender os resultados e faturamento da sua empresa.
  3. Te orientará a realizar os procedimentos necessários, desde os estratégicos até com relação às documentações.
  4. Você evitará ser penalizado por cometer erros em sua empresa como MEI.
  5. E muito mais, pois uma contabilidade experiente pode te ajudar a dar um salto gigantesco em seus negócios, te fazendo prosperar bastante!

Portanto, se você precisa dessa ajuda e não quer pagar demais, fale conosco agora mesmo!